Saúde Mental

A Importância dos Dias de Descanso para a Saúde Mental para Crianças

Uma pesquisa realizada pela Verywell Mind e Revista Parents abordando a relação entre os dias de descanso para a saúde mental e as crianças revelou que 86% dos pais concordam que esses dias são impactantes para seus filhos. Essa constatação levanta questões sobre como os adolescentes lidam com a pressão acadêmica e as preocupações com a saúde mental.

Conversando com Abby, uma estudante prestes a ingressar no último ano do ensino médio, ela revela que, embora sua mãe ofereça dias de descanso, ela não sabe o que é isso desde o ensino fundamental. Abby, uma aluna altamente motivada em um programa acadêmico exigente, admite que o medo de perder aulas e acumular trabalho a impede de tirar esses dias.

A preocupação com a saúde mental dos adolescentes é evidente na pesquisa, onde 54% dos pais expressam alguma preocupação com o bem-estar emocional de seus filhos. A ansiedade de Abby é compartilhada por muitos estudantes, e a pesquisa destaca que 47% dos pais identificam a escola como uma causa significativa de estresse para seus filhos.

A pesquisa também revela que 75% dos pais acreditam que os dias de saúde mental podem ser eficazes na gestão da saúde mental de seus filhos, e 56% permitiram que seus filhos tirassem esses dias. No entanto, Grace Bastidas, editora-chefe da Parents, destaca que, atualmente, mais da metade do país não possui legislação para esses dias nas escolas, tornando a capacidade de tirá-los uma questão de privilégio para muitas famílias.

A Dra. Sarah Cain Spannagel, psicóloga clínica licenciada, enfatiza a importância de oferecer dias de saúde mental, equiparando-os a uma pausa para cuidar do corpo durante uma doença. Ela destaca a necessidade de os pais incentivarem seus filhos a cuidarem de si mesmos desde cedo, integrando essas práticas ao longo da vida para uma melhor saúde mental.

Apesar da crescente aceitação dos dias de saúde mental, a pesquisa destaca que apenas 12 estados consideram essas ausências como justificadas, com algumas exigindo notas de profissionais de saúde mental. A Dra. Spannagel adverte que é essencial evitar padrões onde os alunos usem esses dias para evitar responsabilidades, o que poderia aumentar os problemas de saúde mental.

Em meio a essas descobertas, professores como Meghan Berzovich expressam seu apoio aos dias de saúde mental, percebendo a necessidade de uma pausa diante das pressões existentes na vida dos alunos. A pesquisa também revela que, durante esses dias, 60% dos alunos preferem ficar em casa, destacando a importância de permitir que os estudantes liderem a escolha de atividades que proporcionem alívio da rotina habitual.

Essa pesquisa destaca não apenas a necessidade de reconhecer a importância dos dias de saúde mental para crianças, mas também a urgência de implementar políticas escolares que apoiem essa prática, garantindo que ela não seja um privilégio inalcançável para muitas famílias.